É mais uma fake news a notícia que circula no extremo-sul da Bahia tentando espalhar a mentira de que o Governo do Estado da Bahia estaria se recusando a disponibilizar aos pacientes medicamentos para o tratamento do coronavírus. A notícia mentirosa também acusa o Governo baiano de não aceitar doações da sociedade civil.

Nada disso condiz com a realidade e com a responsabilidade com que o governador Rui Costa e o secretário estadual da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, vêm conduzindo as ações na luta contra a Covid-19, atitudes que são reconhecidas e elogiadas em todo o Brasil, até mesmo por adversários do campo político.

A verdade sobre o que aconteceu: as vigilâncias sanitárias do estado e do município de Teixeira de Freitas fizeram uma ação conjunta de fiscalização nesta segunda-feira (13), após denúncias de que uma igreja estaria distribuindo medicamentos controlados para a população. As equipes de fiscalização impediram a distribuição, em virtude do local não possuir farmacêutico, nem alvará sanitário, bem como levaram para análise amostras dos medicamentos manipulados.

O Ministério Público também foi acionado para avaliar a iniciativa e adotar as medidas cabíveis. O secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, destaca que “não existe comprovação científica da eficácia desses medicamentos no combate ao coronavírus. Ao contrário do que alguns têm difundido, existem evidências de que os remédios podem fazer mal à saúde”, afirma o secretário, ao pontuar ainda que essas medicações são controladas e só devem ser liberadas com receita.

O titular da Sesab alerta para riscos de problemas cardíacos e dermatológicos, além de sequelas neurológicas. No caso da cloroquina, segundo o secretário, a lei exige que seja retida a segunda via da receita e a medicação só pode ser entregue por um farmacêutico registrado. Ou seja, precisa ter controle e notificação sanitária e não pode ser distribuída livremente.

“Qualquer tentativa de expor a saúde da população ao risco, por pessoas que estão em busca de outros tipos de retorno, serão veementemente controladas pela Vigilância Sanitária do estado”, sentencia Fábio Vilas-Boas.

Doações

Sobre as doações, muito importante relembrar que o Estado da Bahia, por meio da Secretaria da Saúde (Sesab), publicou Edital de Manifestação de Interesse, desde março de 2020, com o objetivo de receber doações de pessoas físicas ou jurídicas que tenham interesse em doar bens e valores pecuniários para as ações de enfrentamento do COVID-19. O edital pode ser conferido clicando aqui.