É verdade que o Estado da Bahia autorizou o uso de hidroxicloroquina em pacientes internados no Sistema Único de Saúde (SUS) com coronavírus (Covid-19). A autorização foi dada no dia 8 de abril e permite que a substância seja usada em associação com a azitromicina, desde que receitada pelo médico responsável no tratamento e em ambiente hospitalar. A autorização concedida pela Bahia é diferente de uma recomendação de tratamento, quando é instituído um procedimento padrão para todo o sistema de saúde.

Um vídeo do secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, gravado no início da pandemia, foi retirado do contexto e viralizado com o objetivo de confundir a compreensão das pessoas sobre o assunto, mas é importante que fique claro:
médicos estão permitidos a usar a substância, assumindo a responsabilidade, apenas em ambiente hospitalar e não ambulatorial, ou seja, o medicamento não pode ser aplicado a quem não está internado. Há autorização para uso médico, e não recomendação para uso como padrão de tratamento na rede estadual de Saúde. Link de notícia oficial publicada pela Sesab na época: http://www.saude.ba.gov.br/2020/04/08/bahia-autoriza-tratamento-que-associa-hidroxicloroquina-e-azitromicina-para-pacientes-com-coronavirus/

A decisão de autorizar o uso de cloroquina foi orientada pela comissão científica criada pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), que também já autorizou o uso de outras substâncias como alternativas terapêuticas para pacientes hospitalizados. O Estado da Bahia não recomenda o uso de Cloroquina no tratamento da Covid-19 porque não existem evidências científicas para isso.